Português (pt-PT)French (Fr)

Em foco

Negócio: privatização da EDP, REN e GALP.

Os chineses que querem as empresas portuguesas
A China Three Gorges produz a mesma energia que Portugal inteiro, a Sinopec é a quinta maior empresa do mundo e a State Grid tem uma facturação igual ao PIB nacional. Todas querem ganhar dinheiro com as privatizações.
Nem era preciso dizer que a China Three Gorges é estatal: no organograma que está no site desta empresa eléctrica, além do nome dos gestores está a ligação ao Partido Comunista Chinês. Não é caso único: Li Xiaolin, presidente da China Power e única mulher a liderar uma empresa cotada na Bolsa de Hong Kong, é filha de Li Peng, primeiro-ministro da República Popular da China entre 1987 e 1998 e conhecido por autorizar o uso da força na praça de Tiananmen, durante a manifestação a favor de reformas democráticas, que causou milhares de mortos.
Fonte:Ana Taborda e Patrícia Silva Alves, Sábado
 

Aqui, as flores quando nascem têm sabor a sal

Herdou um negócio que desconhecia tão lucrativo e acabou por modernizá-lo. Hoje, Rui Simeão vende para o mundo inteiro.
As placas que indicam "Perigo" e "Cães Perigosos à solta" inibem o mais incauto de passar o corredor de terra batida que atravessa a herdade de Rui Dias, em Tavira. É mesmo ali ao lado que, da água da ria Formosa, se formam mantos brancos de sal. E é daqui que se extrai o mais puro sal, conhecido por flor de sal, para todo o mundo.
Há quase 30 anos à frente do negócio que herdou dos avós, Rui Dias - mais conhecido por Rui Simeão, o nome que deu à sua marca -, explica o que é, afinal, a flor de sal (para os mais antigos era denominado "coalho"). "É o sal que flutua diariamente nas salinas, quando a humidade relativa é baixa (ar seco) e quando não há vento (porque senão a água movimenta-se e o sal vai ao fundo)". Por outras palavras, e noutra terminologia, "é para o sal como a nata é para o leite, ou seja, a flor do sal é a nata que se cria por cima do leite e é depois usada para fazer o queijo".
Fonte: Sónia Simões, Diário de Notícias
 

Análise de conjuntura da FEPICOP – Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas

No terceiro trimestre deste ano, e de acordo com a análise de conjuntura da FEPICOP – Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas, "foi notório o significativo agravamento do pessimismo dos empresários da Construção, com o indicador de confiança calculado pela Comissão Europeia (C.E.) a registar uma variação homóloga de -25,6%", tratando-se da "maior quebra verificada neste indicador nos últimos 44 meses, estando o seu comportamento em linha com a evolução das opiniões relativas à carteira de encomendas e às perspectivas de emprego".
Fonte: aicep Portugal Global
 

Alemanha corta previsão de crescimento de 1,8% para 1% em 2012

O governo alemão cortou a previsão de crescimento do PIB da Alemanha em 2012, de 1,8% para 1%, justificando a redução com a agitação nos mercados ligada à crise das dívidas soberanas.
Continuar...
 

"Os europeus demoram sempre a dar soluções à crise"

O ministro das Finanças do Brasil diz que o plano franco-alemão foi tardio.
O ministro das Finanças do Brasil, Guido Mantega, afirmou que a estratégia contra a crise da zona euro acordada este domingo pelo Presidente francês Nicolas Sarkozy e pela chanceler alemã Angela Merkel foi tardia.
Continuar...
 
Pág. 4 de 5